sexta-feira, 9 de junho de 2017

Concurso PRF 2017/2018: saiba tudo sobre a seleção nacional!

 

Concurso PRF 2017/18: saiba tudo sobre o concurso!


Ser policial rodoviário federal. Para muitos, isso é muito mais do que um desejo. É um chamado. Há quem tenha a carreira na família há gerações. Em outros casos, a motivação surgiu ao testemunhar a ação da corporação, seja em uma experiência pessoal ou por meio da mídia.

Seja lá qual for o caso, fazer parte da corporação responsável pela proteção não só dos cidadãos que trafegam pelas rodovias federais brasileiras, mas da sociedade como um todo, é um objetivo a ser perseguido com disciplina, determinação, perseverança e, sobretudo, informação.

É pensando nisso nós trazemos tudo que você precisa saber para superar o desafio de ser aprovado em um concurso público que está entre os mais almejados do país: o da Polícia Rodoviária Federal (PRF), que tem pedido de autorização em análise no Ministério do Planejamento (Concurso PRF 2017/2018).

Aqui, você vai encontrar detalhes sobre a carreira e um material vasto para auxiliar na sua preparação: gabarito comentado da última prova, histórias e dicas de quem já chegou lá, o que pensam outros futuros candidatos ao cargo e orientações de especialistas para os testes físicos e avaliação psicológica.





E você? O que te faz querer ser policial rodoviário federal? Comente!

Confira detalhes da carreira e do concurso

Cargo

O cargo de policial rodoviário federal foi criado em 23 de julho de 1935, sob o nome de inspetores de tráfego. Por esse motivo, na data é celebrado o dia do policial rodoviário federal.

Requisitos

Para ser policial rodoviário federal, é preciso ter de 18 a 65 anos de idade. O cargo é aberto a homens e mulheres e a escolaridade exigida é o ensino superior completo, podendo ser em qualquer área de formação. Além disso, é preciso ter a carteira de habilitação, na categoria B ou superior.

Atribuições

Estão entre as atribuições dos policiais rodoviários federais as seguintes atividades:

Preservar a ordem, a segurança pública e o patrimônio da União, por meio do patrulhamento ostensivo das rodovias federais;

Atuar na prevenção de acidentes e realizar o atendimento a vítimas nas rodovias federais;

Realizar o policiamento, a fiscalização e a inspeção do trânsito e do transporte de bens e pessoas;

Exercer os poderes de autoridade de trânsito, autuando infratores, cobrando e arrecadando multas;

Assegurar a livre circulação das vias, especialmente em casos de acidentes de trânsito, manifestações sociais e calamidades públicas;
Realizar a escolta de autoridades nacionais e internacionais, quando solicitado.


Remuneração

Por meio da Lei 13.371/16, a remuneração inicial da categoria foi reajustada para R$9.501,98 em janeiro deste ano. A legislação prevê ainda aumento para R$9.931,57 em 2018 e para 10.357,88 em 2019. Em todos os casos, já está incluído o auxílio-alimentação, que atualmente é de R$458.

No topo da carreira, os ganhos atuais são de R$15.579,30. Os valores sobem para R$16.297,56 no próximo ano e para R$17.010,34 em 2019, também com o auxílio já incluído.

Carreira

Uma das grandes vantagens da carreira na PRF apontada por quem já faz parte da corporação é o cargo único, que diferencia o órgão das demais forças policiais. Entre os benefícios, está a possibilidade de qualquer policial ter a chance de assumir funções de chefia, desde a mais simples até a maior delas, a de diretor-geral. Atualmente, a função é exercida por Renato Dias, de 44 anos, policial rodoviário federal há 23 anos, desde 1994.

Lotação

A PRF tem como política lotar os policiais rodoviários recém ingressados nas regiões de fronteira, o que abrange territórios dos estados do Acre, Amazonas, Rondônia, Roraima, Pará, Amapá, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul.

Porém, em função da alta capilaridade da PRF, é possível atuar em qualquer região do Brasil. Em geral, os policiais podem buscar a transferência de lotação após três anos no exercício do cargo, por meio dos chamados concursos de remoção. Além da sede, em Brasília, o órgão conta com 27 superintendências regionais, 150 delegacias e 413 unidades operacionais, totalizando mais de 550 unidades em todo o país.

Último concurso

A PRF abriu seleção para policial rodoviário federal pela última vez em 2013. Na ocasião, foram oferecidas mil vagas, atraindo um total de 109.769 inscritos em todo o país. A concorrência foi, portanto, de 109,77 candidatos por vaga.

Etapas

Além das provas escritas (objetivas e discursiva), a seleção dos policiais rodoviários federais é composta por provas práticas e avaliações médicas e acadêmicas. Abaixo, você confere um infográfico com as etapas que costumam compor o concurso.



Conteúdo programático

As disciplinas a serem cobradas nos concursos da PRF são, tradicionalmente, compostas por um núcleo básico, podendo haver, no entanto, algumas alterações de uma oportunidade para a outra. No momento, não há informação de alterações em relação ao que foi cobrado no último concurso, sendo o programa anterior a base dos estudos para o novo concurso, conforme orientação dos especialistas.

Na seleção de 2013, as avaliações foram sobre Língua Portuguesa, Matemática, Ética no Serviço Público, Noções de Informática, de Direito Constitucional, de Direito Administrativo, de Direito Penal e de Direito Processual Penal, Legislação Especial e Relativa à PRF, Direitos Humanos e Cidadania e Física Aplicada à Perícia de Acidentes Rodoviários. Confira aqui o conteúdo programático completo daquela oportunidade.





Serviço:

Outras Informações – Aqui
  Concursos Públicos Aqui
Dicas para Concursos - Aqui

Para mais informações consulte o nosso blog.

SHARE THIS

Autor:

No RD5 Notícias maior blog de informações sobre concursos públicos, esportes, entretenimento política, tecnologia e negócios você fica por dentro das principais e últimas notícias do dia, além de assuntos relacionados ao Mundo do Brasil e da Bahia para seu conhecimento diário.

0 comentários: